Você está aqui: Entrada / Notícias / 2015 / PROJETOS DE INVESTIMENTO - INCENTIVOS AO COMÉRCIO
Encontra-se a decorrer até 27 de Março de 2015 a 2.ª Fase de Candidaturas à Medida “Comércio Investe” e que visa apoiar Projetos de Modernização de Estabelecimentos Comerciais abertos ao Público. Candidaturas abertas até 27 de Março 2015

Procedemos Gratuitamente ao envio do seu Projeto. Contacte-nos!

PROJETO INDIVIDUAL DE MODERNIZAÇÃO COMERCIAL:

- Projeto promovido por uma empresa;
- Visa a modernização e valorização da oferta dos estabelecimentos abertos ao público através da aposta na inovação e da utilização de formas avançadas de comercialização.

ELEGIBILIDADE

São elegíveis as Micro e Pequenas empresas cuja principal atividade se insira no CAE 47 (classificação portuguesa das atividades económicas, revista pelo decreto-lei nº 381/2007 de 14 de Novembro). De salientar que existem algumas exceções.

DESPESAS ELEGÍVEIS

Aquisição de equipamentos e software para suporte à atividade comercial (introdução de tecnologias de informação e comunicação, equipamentos e sistemas de segurança, dinamização de serviços pós venda e outros que se considerem necessários);

Aquisição de equipamentos e mobiliários (que se destinem à áreas de vendas ao público, visando a melhoria da imagem e animação dos estabelecimentos e a adequada identificação, localização e apresentação de produtos);

Aquisição de equipamentos, software e conceção de conteúdos (destinados à criação ou dinamização da presença na internet através de espaços virtuais de divulgação da oferta e de comércio eletrónico, para complemento à oferta existente no estabelecimento comercial);

Despesas com assistência técnica específica que tenha como objetivo o aumento da atratividade dos espaços de atendimento para o cliente, nomeadamente nas áreas de decoração, design de interiores, vitrinismo e tradução de conteúdos para língua estrangeira);

Despesas inerentes à certificação de sistemas, produtos e serviços (no âmbito do Sistema português da Qualidade, com despesas com a entidade certificadora, assistência técnica específica, ensaios e dispositivos de medição e monitorização, calibrações, bibliografia e ações de divulgação);

Despesas com criação e proteção da propriedade intelectual (desenvolvimento de insígnias ou marcas e os custos associados aos pedidos de direitos de PI)

Requalificação da fachada (remodelação da área de venda ao público no interior do estabelecimento, aquisição de toldos ou reclames para colocação no exterior do estabelecimento);

Estudos, diagnósticos, conceção de imagem, projetos de arquitetura e das especialidades e processo de candidatura;

Intervenção de Técnico Oficial de Contas ou Revisor Oficial de Contas.

 

Conte com a nossa experiência e não perca esta oportunidade.